HERESIAS CONTEMPORÂNEAS NAS IGREJAS EVANGÉLICAS.

Publicado: 20th fevereiro 2011 por Carlos Mourão em Atualidade
Comentários desativados

Em tempos atrás quando os ‘‘evangélicos’’ ouviam falar em heresia, logo pensavam em seitas; maçonaria, espiritismo, budismo e centenas ou milhares de crenças com nomes estranhos que praticavam doutrinas próprias.

Mas hoje a coisa complicou bastante, há práticas e doutrinas próprias em determinadas denominações que ameaçam os seguidores de Cristo.

E a bíblia nos diz que isto que isto aconteceria, cuidado!

Pregam falso Jesus, um falso espírito onde Jesus é apresentado como solucionador de probemas, mágico amigão e camarada, mas nunca como SALVADOR (II Cor. 11,3 e 4).

Um Falso evangelho, (Gal 1.1,8) falsos profetas, falsos pregadores (Mat. 7. 21,23), falsos mestres (II Tm.4,3) e falsas Bíblias cujos textos foram adulterados.

O que mais me choca, com todo respeito são os maus hábitos que certos Cristãos adquirem, hábitos que viram vícios e vícios que danificam o entendimento levando a pessoa a morte, a cegueira espiritual, a ponto de acharem que estão certas e pronto!

E sabem o que isto significa? Separação eterna de Deus.

Uma das mais novas crenças dos denominados evangélicos é o cristianismo judaizante. Na verdade, este movimento religioso e herético é a nova febre da atualidade. Isto porque, alguns dos evangélicos têm introduzido praticas vetero-testamentárias nos cultos e liturgias de suas igrejas. Na verdade, tais pessoas têm declarado que o resgate dos valores judaicos é uma revelação de Deus a igreja contemporânea, cujo slogan é “Sair de Roma e voltar para Jerusalém”

Estes modernos fariseus têm disseminado praticas como:

  • Tocar de costas para a congregação, por considerar os ministros de musica “levitas de Deus”.
  • Usar o Shofar, para liberar unção ou invocar a presença divina.
  • Dar simbologia a cores, misticismos, Atos proféticos, danças proféticas etc…
  • Observar algumas festas Judaicas.
  • Usar o Kipá e o Talit, que são as vestimentas que os judeus praticantes usam para ir a sinagoga.
  • Usar excessivamente símbolos judaicos tais como, a bandeira de Israel, o Menorah ou a Estrela de Davi dentre tantos outros mais.
  • Construir protótipos da Arca da Aliança a fim de simbolizar entre os cristãos a presença de Deus.
  • UNGIR CHÃO E OBJETOS – Que tristeza me deu no coração no dia que ví líderes de igrejas evangélicas de Sete Lagoas fazendo isso na praça da Bíblia (vale ressaltar que nem todos fizeram), mas se pudesse perguntaria a cada um deles que fizeram: Bíblicamente o que é a Unção com óleo? E em quais ocasiões ‘‘ALGUÉM’’ era ungido?
  • E por aí vai…

Não existem pressupostos bíblicos para que a igreja de Cristo, queira “recosturar” o véu do templo. Entretanto, alguns dos crentes atuais teimam em transformar em realidade aquilo que deveria ser uma simples sombra. Foi o Apostolo Paulo quem afirmou: “Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados. Estas são sombras das coisas futuras; a realidade, porém, encontra-se em Cristo”, Colossences 2.16-17.

As leis cerimoniais judaicas, os ritos sacrificiais, as festas anuais, foram abolidas definitivamente por Cristo na cruz do calvário (o significado de cada uma delas se cumpriu em nosso Senhor). Por esse motivo, mesmo os judeus que se convertem hoje ao cristianismo estão dispensados das leis cerimoniais judaicas. É por esta razão que crentes em Jesus, não fazem sacrifícios de animais, não guardam o sábado, não celebram as festas judaicas, não se prostram diante a Arca da Aliança e nem tampouco fazem uso do shofar. Nossa mensagem, vida e testemunho deve ser Cristo, o Evangelho pregado deve ser o evangelho de Cristo, nossa mensagem central deve ser para a gloria e o engrandecimento do nome de Cristo.

____________________________________________________________________________________________

Os comentários estão fechados.